03 agosto 2014

Parabéns Atrasado ao Portátil



Semana passada o Game Boy fez 25 anos de seu lançamento no ocidente. Eu não vou me ligar muito em sua trajetória (até porque o site da Wikipédia ta aí pra isso), mas sim a história que eu tive com portátil que foi uma grande presença em minha vida.

Tudo começou com o fim de 1996 eu era muito fã dos mini games da Tec Toy (já cheguei a fazer um post sobre eles aqui) e queria muito um Game Gear que tinha visto num anúncio da Casa e Vídeo na época. Até conhecia o Game Boy, mas o Game Gear foi sempre um grande sonho de consumo meu. Fui até a dita Casa e Vídeo atrás do portátil e não tinham mais em estoque, posteriormente fui atrás do portátil nas Lojas Americanas (na época só havia duas lojas que vendiam coisas de games por aqui a Americanas e Casa e Vídeo). Também não tinha lá, mas decidido a levar um portátil aceitei com Game Boy (aquele clássico branco com Tetris). A primeiro momento me divertia com o Tetris que vinha nele, mas pra arrumar jogos era difícil o que me fazia não me prender muito a ele.

O tempo passou e consegui o jogo Pernalonga o Castelo Maluco 2 (segundo game que eu tive do console) o que me garantiu momentos de diversão bastante satisfatórios, depois passei a alugar jogos em um locadora que eu já era sócio e alugava jogos de Nintendinho. Com o tempo os jogos começaram aparecer mais, inclusive piratas com multijogos, e nas lojas também. Eram relativamente baratos, o máximo que custavam era 50 reais.

Cheguei a ter uma gama muito boa de títulos dentre eles cito: Killer Instinct, Mario Land 3, Tetris Attack, Alleyway, Pinball Fantasies, King of Fighters 96 entre outros. Com a popularidade de Pokémon fez com que as vendas do console aumentasse e consequentemente os preços dos cartuchos.

Não vou aqui citar sobre Pokémon (fiz isso já em um tópico) porque pra mim Game Boy não se resume a esse jogo. Aprendi com ele que não devemos subestimar certos consoles pelo que inicialmente eles aparentam ser, devemos aproveitar o máximo deles e não devemos nos ligar em certos quesitos como potência e gráfico. E por mais que o Game Gear fosse superior, infelizmente tinha vários problemas (como a duração das pilhas). Acredito que o Game Boy venceu porque conseguia oferecer dentro de suas limitações experiências de jogos agradáveis em sua maioria. Desculpe pelo parabéns atrasado querido portátil, mas taí a lembrança.

Um comentário:

Victor Hugo Carballo disse...

Eu tenho o meu desde 1991 e ainda funciona. Sempre ligo ele de tempos em tempos, tenho um Castlevania nele. Também tenho o GBA e o PSP. O GBa pifou mas emulo ele no PSP, jogo principalmente o Fire Emblem :)