04 maio 2017

Mc Lanche Feliz Maio 2017: DC Super Hero Girls e Justice League Action



Olá amigos: depois de muito tempo resolvi voltar com a sessão Mc Lanche Feliz. Motivo: os brindes não estavam me empolgando. Eis que pintaram os brindes dos personagens das franquias da DC Justice League Action e DC Super Hero Girls, que saíram nos Estados Unidos em 2016. Imagens a seguir:










A maior parte desses brinquedos são inéditos com exceção do Homem Borracha que já apareceu em uma coleção de Batman Brave and Bold em 2011:






Outra coisa que temos que elogiar é que a coleção se focou nos bonecos,nos EUA  também saíram máscaras. Será que é medo de encalhar?



Gostou? Compartilhe a postagem e ajude com meu trabalho no blog!

21 abril 2017

Bonecos Street Fighter World Championship (anos 90)



Street Fighter foi o percursor dos jogos de luta versus, isso todo mundo tá careca de saber. Na segunda versão é que se confirmou um grande potencial devido a sua popularidade, mas timidamente muito pouco explorado por aqui. Sotes temos que os camelôs sempre bombardeando de produtos Bootlegs (não licenciados) trouxe a linha de brinquedos vinda da China chamada Street Fighter World Championship:









A linha consistia em 4 bonecos: Ryu, Ken, Guille e Blanka. Sendo que os dois primeiros tinham roupas de pano. Ao contrário dos das imagens, os bonecos eram vendidos em sacos plásticos grampeados. Eu tenho o Ryu dessa coleção infelizmente sem Kimono:


Não eram bonecos muito legais esteticamente, mas eram aquilo que tinhamos na época de produtos licenciados de Street Fighter para se poder adquirir. O irônico é ver como eles demoraram a perceber quanto potencial a franquia tem para vender esse tipo de produto, tanto que a Anjo Brinquedos lançou ano passado bonecos gigantes dos personagens.

Agradeço ao Santuário do Mestre Ryu pelas informações dos bonecos.

Se curtiu a postagem compartilhe nas redes sociais e ajude a divulgar meu trabalho no blog. Não deixem que a crise afete as atividades deste se gosta do mesmo. Até a próxima com mais uma postagem!

11 abril 2017

Novo Mega Drive da Tec Toy: Decepção Nostálgica



Como todos sabem a Tec Toy anunciou ano passado que lançaria esse ano um novo Mega Drive. Ela acabou atendendo um pedido dos gamers: uma entrada SD para rodar as roms no console, porém sem HDMI. Sendo que lá fora vão lançar um modelo mini do Mega Drive com essa entrada, além de controles sem fio.






Como podem ver na foto da etiqueta debaixo do console, mostra que o consumo deste modelo de mega é de 1 watt, o que leva a crer que deve ser uma placa bem simples emulando os jogos.

Vamos agora a qualidade da emulação: a empresa soltou um vídeo com uma hora de gameplay que você pode conferir abaixo:

Guia do Gameplay

1 – Apresentação – 00:00

2 – Menu do Mega Drive – 0:24

3 – Velocidade de Carregamento dos Jogos – 1:32

4 – Demonstração dos Jogos na Memória (Cartão SD) – 1:47
– Altered Beast – 1:50
– Alex Kidd – 4:22
– Arrow Flash – 5:06
– Alien Storm – 5:52
– Bonanza Bros – 8:20
– Gain Ground – 9:14
– Kid Chameleon – 10:48
– Shadow Dancer – 12:54
– Shinobi 3 – 15:30
– Sonic 3 – 18:56
– World Champ. Soccer – 21:54
– Flicky – 23:06
– Columns – 23:46
– Columns 3 – 24:48
– Cyrstal Pony Tale – 26:32
– Comix Zone – 28:37
– Eswat – 31:13
– Golden Axe – 33:00
– Golden Axe 3 – 36:11
– Jewel Master – 39:35
– Last Battle – 42:15
– Fatal Labyrinth – 44:32

5 – Compatibilidade com outros jogos
– The Immortal – 46:56
– Sub-Terrania – 49:30
– Raiden Trad – 52:22
– Sonic Spinball – 54:02
– FIFA Soccer – 55:14
– Moonwalker – 57:49

Alguns jogos até funcionam de maneira satisfatória, mas alguns jogos os efeitos sonoros estão horríveis. A coisa é mais sentida em Sonic The Hedgehog 3 - que é um jogo moderno e usa com eficiência o chip de som. Um problema que afeta os fãs puristas, os quais muitos compraram antecipado o console confiando na palavra da empresa em entregar algo fiel ao fabricado nos anos 90.

A Tec Toy acabou decepcionando quem ainda confiava nela: acho que faltou um pouco de visão de mercado pra quem ela iria vender o produto e quem estava comprando antecipadamente o mesmo: gamers é um tipo de público exigente, e o produto que eles destinaram a fazer não era nenhum desafio mirabolante, como mostrei que existem opções no mercado melhores e mais eficientes do que a Tec Toy apresentou.

No final fica a lição de que não dá pra confiar na Tec Toy quando se trata de um produto de nicho: e que a equipe de desenvolvimento aprenda a desenvolver produtos para os jogadores nostálgicos. Porque em marketing foram eficientes.

02 abril 2017

A Recepção do Meu Blog e Ataque Virtual.






Olá pessoal, mais uma vez aqui com um inscrito de bate papo que tanto tempo não o faço. Como todo blogueiro e escritor, gosto da receptividade das pessoas perante a meu trabalho. É uma coisa legal chegar na minha página do Facebook, nos comentários do blog ou no Google + pessoas se comunicando comigo por conta das minhas postagens. Dos mais comuns aos mais inusitados:




O mais insutado foi o caso do Riccardo Lemes de Balneário Camboriú que faz um trabalho de cover do Super Mario e através do meu blog veio em busca de informações do personagem e seus produtos no nosso país. É uma honra meu blog ser fonte de inutilidades úteis  para fãs de Cultura pop.

Gostaria também de agradecer ao Ackermman Alceu que vieram em busca de informações da Bolinha da Copa 1990 Tec Toy a qual fiz postagem sobre aqui no Blog, infelizmente não tenho mais a bolinha e nem sabia que era um artigo tão disputado por colecionadores. O mais incrível que ele chegou a me ligar em busca da dita cuja, provavelmente viu o meu telefone no meu bazar que tem o link aqui no blog.

Há tantos outros nesse meio, como pessoas interessadas em artigos da minha coleção particular, o que posso dizer: o que está aqui dificilmente irá a venda, mas quando estiver eu vou anunciar no Bazar. Não insistam com interesse de venda, o que posso fazer é fiquem de olho no meu Bazar eu costumo achar raridades como o boneco do Mussum que vendi no início do ano:


Infelizmente nem tudo são flores: porque durante a última semana sofri ataques nas páginas do Facebook do meu Bazar e Blog. É um preço que a gente paga por até expor certas coisas aqui no meu Blog. Eu evito muito de falar sobre acontecimentos pessoais por aqui, prefiro priorizar artigos sobre brinquedos antigos, filmes entre outras nerdaiadas, porém certas coisas gosto de deixar descrito aqui como o processo da Marinha, acho até como uma função de alerta sobre essas coisas, falei do assalto que tive e como foi a reação que tive... São acontecimentos que eu passo, que até vale a pena falar aqui até porque todo mundo passou ou pode passar por isso. Não estou me fazendo de Koitado, aliás mesmo se fizesse seria no meu espaço: espaço esse que desenvolvo desde 2005, mas que em 2009 começou a se dedicar a cultura pop. Posso não ter grande público, mas tenho recebido boas surpresas deste. Que essa interação só cresça e peço a colaboração de vocês compartilhando minhas postagens.

Abraços amigos e até a próxima.

28 março 2017

5 Filmes Baseados em Séries Infantis e Desenhos dos Anos 90 Que Me Decepcionaram




Quando falamos em programação infantil dos anos 90, lembramos com uma certa nostalgia exagerada sobre aquelas produções. Algumas até hoje ainda são bacanas e interessantes de assistir, outras melhor ficar no passado mesmo.

Mas nos anos 90 aconteceu uma coisa muito curiosa aqui: muitas dessas produções acabaram saindo para salas de exibição no país dividindo espaço com produções da sétima arte. Algumas dessas ditas produções baseadas em programas infantis eram realmente algo feito pra cinema, outras nem tanto: eram adaptações ou enxertos sem uma estética preparada para uma exibição em tela grande, parecendo especiais mais garbosos e só afim de fazer caixa com a marca que estava em voga no momento.

Isso existia desde os anos 80, mas muitas das produtoras aparentemente não tinham coragem de colocar produções de apelo tão infantil nas salas de cinema, deixando muitas pro mercado de vídeo mesmo. Nos anos 90 começamos a notar que esse fenômeno dá um salto relevante significativo e vira um nicho a ser explorado pelas distribuidoras e estúdios. Bastasse que a série ganhasse popularidade, porém a falta de capricho e zelo de levar uma aventura para o cinema acabava desapontando muita gente que era fã dos personagens e quando esperava uma grande aventura, caia na enganação de muitas vezes um episódio esticado (ou resumido)  da série de TV. Isso porque quem criava esse material provavelmente eram os que faziam os episódios da série.

Chega de textão e vamos para os 5 filmes escolhidos da lista em ordem decrescente.

5 - Rugrats (Os Anjinhos) O Filme (1998)



Este filme marca a estréia da Nickelodeon Movies no cinema: incialmente feita com os estúdios da Fox que infelizmente não deu frutos devido ao fim do contrato, acabou indo parar na mãos da Paramount a produção do longa, que era previsto desde a sua criação. O filme se passa com Tommy tendo que lidar com a nova rotina de sua família com a chegada de seu irmão Dylan (Dil) devido aos mimos irem todo para ele e deixar Tommy em segundo plano. Tem um lance do Stu construir um novo brinquedo baseado no dinossauro Reptar - personagem favorito do Tommy. É dentro desse veículo seguro que Tommy, Dil, Chucky, Phil e Liliam se perdem e são perseguidos pela Angélica e Spike, porque Dil rapta a boneca dela a Cintia.

Basicamente esse é o roteiro do filme e inicialmente admito que empolga, mas parece que quando chega na parte que eles perdem na floresta toda a criatividade que os produtores tiveram na série de TV, de repente, some. O que torna a aventura dos pequenos bastante genérica e sem aquele feeling dos episódios da TV. Talvez o problema dos bebês se perderem dentro de uma floresta, sem interação de personagens adultos ( a graça de Rugrats é o universo paralelo entre mente dos adultos e mente das crianças) naquele momento não funcionava muito bem, eu saí meio mé da experiência na sala de cinema na época, esperava mais. Talvez por isso ache mais legal o segundo filme (Rugrats in Paris - justamente pela interação com os adultos), já o terceiro também acho que sofre do mesmo problema, e olha que contava com personagens novos como Thornberrys, mas parecia que nada funcionava nesse também. Nem o Spike falando com a Elisa Thornberry tornava as coisas interessantes.

 4 - Mighty Morphing Power Rangers The Movie.



Esse aqui não é bem uma decepção: é um filme que tenho até vontade de rever até hoje. Nesse é o seguinte, operários encontram uma cápsula soterrada numa obra (já vimos esse filme antes). Rita e Lord Zedd chegam no local para investigar e libertar um novo vilão para ajudá-los a acabar com os rangers e este é Ivan Ooze que assim que liberto não concorda em obedecer os vilões, os aprisiona e os lança para o espaço. O danado pra não dar chance pros heróis toca o terror no centro de comando e quase mata o Zordon praticamente sem nenhuma explicação como chegou lá.

Daí eles fogem pra um planeta e arrumam novos poderes por lá, voltam e vencem o mal. Essa história todo mundo conhece. Mas e a decepção? Praticamente nenhuma, até que a produção é boa pro público que se destina. Só está aqui por estar porque eu queria falar dela, tô brincando, tô brincando. Apesar de ser tosqueira hoje em dia tá num nível aceitável, mas ainda assim passaria como um episódio esticado da série de TV, algumas coisas como as lutas do final ficaram muito confusas e poluídas, mas faço uma ressalva nos uniformes que ficaram bem estilosos:


 É o tipo de filme que amo odiar, chega a ser melhor tecnicamente que muitos episódios da série de TV. Procuro pelo DVD dele e nunca acho.

3 - Pokémon O Filme.


Esse eu acredito que a culpa não é do filme em si, porque a premissa era boa. Mewtwo, um Pokémon geneticamente modificado jura vingança aos treinadores e seus Pokémons domesticados e deseja governar o mundo. O que ele resolve fazer: escolhe sem critério nenhum treinadores próximo a sua ilha, os desafia para uma batalha Pokémon com criaturas mais poderosas, sequestra seus Pokémons e os clona como criaturas mais poderosas. Cujo não tem diferença nenhuma:


Além disso vem com uma mensagem de brigar é errado vindo do Meowth, o Pokémon que é o mascote vilão da equipe Rocket. Um vilão dando uma mensagem de moral dentro de um anime sobre criaturas que lutam entre si. Que roteiro, estou extasiado!

Conforme disse, provavelmente o filme não seja assim: pode ser pior, ou melhor não sei não vi. Você nota que nada casa, parece um enxerto que fizeram em cima, sabe? É complicado analisar o filme sob a ótica da versão americana. Acaba decepcionando porque era pra ser um filme do Mewtwo, mostrar o quanto ele é foda e poderoso. A cena do Ash se interpondo na luta entre ele e o Mew é píegas e não é emocionante, parece um meio barato de arrancar lágrimas.


Outra coisa nesse filme é que o marketing dele tinha um monte de cantores pop da época e nenhuma música deles foi aproveitada, somente as que tinham mais a ver com as cenas foram utilizadas como a Brother my Brother:



De resto foram colocadas na cena pós créditos do filme. O filme é bem regular pelo conjunto da obra, ser pieguista ao extremo e fazer uma crítica a questão de lutar: lutar sempre é errado? E se luta pelo certo? Fica aquela questão filosófica completa. Acho que vale a pena ver o original de repente temos respostas melhores. Porque aqui ficamos é mais confusos com a mensagem que querem desenvolver. 


4 - Dragon Ball O Filme ( A Árvore do Poder).


Eu sinceramente não consigo gostar muito desses filmes do Dragon Ball Z. Ou eles são uma alteração de um arco com personagens novos, ou uma aventura genérica ou os dois. Se eu fosse vocês pegava todos esses filmes da saga Z e tacava fogo e ficava com o ova do Pai do Goku só como complemento, que também não é tão importante assim.

O problema do Dragon Ball assim como o do primeiro colocado dessa lista é que não havia o tato da produtora oficial ou distribuidora, porque os japas vendiam (e ainda vendem) suas obras pra um licenciado cuidar aqui no ocidente. Calharam de achar que a árvore do poder seria um bom filme pra estrear nos cinemas brasileiros, pra começo de conversa essa bosta não é filme: é tipo um especial que é exibido numa feira que a Toei realiza no japão: a Toei Anime Fair. Então é tu pagar ingresso pra ver praticamente um episódio estendido da série de TV.

Aqui temos a saga dos Saiajins recontada: Tullece, um novo Saiajin, chega e planta uma Árvore que suga a energia de nosso planeta. Senhor Kaioh avisa os guerreiros Z e eles vão investigar, porém são atacados pelo inimigo impiedosamente.



Tullece utiliza o poder do chorão Gohan em se transformar em macaco criando uma lua artificial o que faz com que ele ataque Goku durante essa transformação. Até aí Goku se ferra todo, depois se ferra mais lutando com o Tullece (que é chamado de Talles) usa a Genki Dama com a terra mais sem força nenhuma não é capaz de criar energia suficiente, até que ele resolve usar a energia da árvore para isso e vence.

O problema desse filme é que ele não se encaixa cronologicamente em nada, não podemos encaixar ele na saga dos Saiajins como um substituto do Raditz, porque durante esse período ele desconhecia a Genki Dama e o Senhor Kaioh. Nem posteriormente a Freeza porque ele não vira um Super Saiajin. Então onde encaixar ele? Lugar nenhum, é simplesmente um espeial que usa de características dos personagens numa linha de tempo obtusa que foi lançado descaradamente como filme e que não tem nem sua abertura traduzida. É em Espanhol cantada por um cantor brega veja nesse trailer:


Foi totalmente um desleixo por parte da distribuidora e principalmente por parte da produtora (Toei) que deixou a critério de gente com pouco zelo a uma franquia que estava estourando na época.

Agora vamos ao primeiro lugar...


1 - Os Cavaleiros do Zodiaco O Filme (A Batalha de Abel).


Algum fã irá me dizer: você colocou Cavaleiros do Zodiaco, você é doido? Explico: conforme disse em Dragon Ball Z o Filme, toda e qualquer animação Japonesa que chegava aqui era tratada sem nenhum tato por "profiçionais" do ramo. Mercadologicamente CDZ funcionou muito bem, mas não negue que fui tudo a moda gambiarra. Esse, assim como  o do Dragon Ball Z, foi o terceiro filme dos personagens lançado pela Toei que mostra a volta do deus Abel a terra que deseja destruir a humanidade por blasfêmia e reviver o Olimpo. Saori finge aceitar o convite do irmão, o tenta deter e acaba sendo morta. Resta aos defensores de Athena impedir que sua alma vá para o Campos Elísios.

Nesse filme os Cavaleiros voltam a enfrentar os cavaleiros de ouro vencidos anteriormente: Afrodite, Saga, Camus, Shura e Máscara da Morte. Alguns se rebelam, como Camus e são vencidos pelos Cabeç... quero dizer Cavaleiros de Abel, outros são vencidos pelos cavaleiros de bronze novamente. Exceto Afrodite, que é derrotado por Fênix.

De todos os filmes citados é o que realmente mais empolga, mas tudo é feito meio que às pressas com pouca duração. As batalhas antes que duravam três, quatro episódios duram minutos. Aqui o grande desafio dos heróis são os cavaleiros de Abel que tem um nível elevado de poder. No final eles conseguem vencer usando as armaduras de ouro derrotam Abel, salvam a Saori e todos viveram felizes para sempre, fim.

O decepcionante aqui fica realmente com o tempo, que é muito curto porque até que a trama é boazinha (pro nível que é Cavaleiros até que tá bom). Aliás, desses especiais do Cavaleiros, somente o da Éris que é mais ou menos (porque acho engraçado o golpe Choque Megatônico de Meteoros). Poderia ser mais trabalhado os personagens com mais tempo, tudo fica muito genérico. Tem um resultado satisfatório, mas não tem cara de filme.


Pessoal encerro por aqui meu textão de hoje, se curtiram compartilhem nas redes sociais. Divulguem meu trabalho: não me deixem falando sozinho, nem que seja pra dizer que vocês perderam tempo lendo algo tão ruim. Brincadeiras a parte até uma próxima postagem.





 

25 março 2017

Adesivos Udi - Grudi Lidice (Anos 80 ou Anos 90?)






Realmente tem coisas que fizeram parte da nossa infância que caem no limbo do esquecimento por muita gente: o caso dos adesivos Udi - Grudi é um deles.

Criado nos ano 80 (ou seria nos anos 90) os adesivos plásticos em PVC podiam ser colados e descolados formando cenários nas paredes, porém não eram em qualquer parede tinham que ser lisas, assim como em vidros onde eles eram mais facilmente fixados. Aqui em casa eu fixava no vidro, mas eles caiam por conta do mesmo ser ondulado. Os adesivos poderiam ser retirado e colocados em outros lugares pela criança facilmente.

O único kit que eu tive desses adesivos é o de fazenda, mas na época haviam outros modelos. Pesquisando aqui achei um anuncio vendendo o kit do Fofão e do Zoológico, só que foi desativado e não tem mais nenhuma imagem deles. A única imagem do produto é desse dos Trapalhões, vinda de um acervo de um fã do seriado:


O produto era uma vaga lembrança latente na minha memória em que durante a semana passada voltou e durante algumas pesquisas trago de volta a vocês, infelizmente com poucas informações a não ser um texto. Talvez esperemos que algum nostálgico disponibilize mais informações.

19 março 2017

Páscoa 2017: Lacta - Poucas Licenças



A Lacta fica sempre sendo a última no quesito divulgação de produtos de páscoa. No caso desta ela vem bem modesta em licenciamento de ovos com brindes: Barbie, Ever After High, Hot Wheels e Batman:






É o que estava conversando com o pessoal da página do Facebook na última publicação: a páscoa desse ano está muito pouco atrativa comparada a do ano passado. Pelo menos muita gente vai economizar esse ano (aqueles que não tem crianças é claro).