01 setembro 2019

A Raridade de Itens, A Ingorância de Outros...





A internet é um local maravilhoso: é um local onde você acha pessoas cujo compartilham os mesmos gostos e onde você não se encaixa acha pessoas fãs de tudo: desde quadrinhos a bichinhos virtuais. Porém nem tudo são flores: algumas vezes encontramos também um público expert em certos assunto, mas completamente leigo em outros.

O que vou contar aqui são dois casos distintos e ambos erros cometidos por mim. Primeiro foi o anúncio de um bichinho virtual dos anos 90 num grupo de Bazar da minha região. Onde uma menina entrou em contato no marketplace, local onde tinha anunciado e compartilhado nos grupos, e esta me respondeu o anúncio em tom de deboche e com diversos ícones de risada.





 E nem é culpa dela isso: a internet ajudou a unificar as pessoas, mas ainda elas vivem num círculo social fechado. Talvez ela nunca tenha consultado um Mercado Livre e tenha se deparado com anúncios deste brinquedo e com seu preço atual:



Eu fiquei até com raiva na hora, mas levei em conta que achei que ela é ignorante no assunto. Pra ela um bichinho virtual é tudo igual. Mas na prática esse tipo de bichinho não é mais fabricado. Até usa o mesmo molde, mas a programação não é a mesma: agora colocam um monte de bichinho pra escolher com uma programação imitação desse. O que torna esse modelo raro automaticamente.

O que mais espantou foi o que aconteceu recentemente com isto aqui:


Isso que vocês estão vendo: um Apollo. Consegui durante um garimpo. Todo sujo a tela tava bem embassada, limpei com limpa tela de PC e ficou novinho. O compartimento de pilhas em excelente estado. Testei com pilhas e funcionando 100%. Fui ver quanto custava ele no Mercado Livre:







Pra quem não sabe nos anos 90 foi uma febre nesses  mini games tipo Tetris: não era todo mundo que tinha dinheiro pra comprar um Game Boy e Game Gear. Então os Mini Games foram a salvação de muitos gamers na época. Eram toscos e simples, mas muitos tinham programações divertidas. Para efeito de comparação mini games eram os smartphones da época, todo mundo tinha principalmente o Brick Game.

Só que o Brick Game foi aquele portátil que conquistou as massas: crianças e até adultos jogavam. Tudo graças ao criador Alexey Pajitnov que criou o Tetris um puzzle eletrônico simples, divertido e viciante!



O que acontece: aqui no Brasil tínhamos inicialmente dois modelos de mini games: o Brick Game 2 in 1  e o Apollo. Porém o Apollo se destacava por ter mais de uma variação de jogos como jogo de Nave e Cobrinha. Isso usando a programação do Tetris, além dele ter voz digitalizada dizendo great cada vez que você completava e acertava uma linha no Tetris entre outros efeitos. Se tornando o sonho de consumo de muitos jovens da época. 

O negócio é que isso também fez com quem fabricava o Brick Game "orignal" se mexesse e lançasse o Brick Game com voz e mais jogos. O Super Talking Brick Game:




Assim como o Apollo que ganhou um boost com mais jogos (180 jogos), mas ficou por aí. O Brick Game continuou até chegar a marca de 999999 in 1 que é aquela pura enganação dos cartuchos piratas do Nes (Polystation) onde temos poucos jogos e o resto são repetições:

 
Vocês podem olhar a tela é menor que os modelos antigos, usa-se agora duas pilhas e a programação é a mesma do antigo modelo alterada para passar a sensação de se ter mais jogos. E claro isso é vendido a preço de banana por aí.

Por mais que isso seja algo acessível, nunca será como os Brick Games antigos, principalmente o Apollo.  Então o Apollo por não ter sido descontinuado acaba se tornando uma peça rara para colecionadores, e sim existem colecionadores de mini games. Um mesmo já entrou em contato comigo na postagem dos Mini Games Serie Master


Como disse o ramo de colecionismo é grande, você conhece pessoas que colecionam de tudo. Eu fui anunciar este mini game em grupos gamers e tive a mesma reação de pessoas como a menina do Tamagotchi. Só que bem pior, sabe um hate desnecessário aconteceu, e num grupo onde tinha como tema videogames antigos e pessoas vendem os jogos lá a peso de ouro muitas vezes. E olha que estou cobrando bem abaixo do que o pessoal do Mercado Livre cobra por esses itens, porque eu sei o valor deles e o contexto que eles foram lançados, assim como diversos itens. Só não acho que eles valham o preço de uma Moto

O que acontece é que muitas pessoas que criticam são muitas que sustentam esse mercado de retrocolecionismo com preços absurdos. E você que tenta sobreviver a isso, até mesmo levar algo mais em conta pra algum colecionador entusiasta poder se livrar desse mercado absurdo acaba sendo hostilizado por essas pessoas. 

Mas a vida se segue, enfim.

Nenhum comentário: