13 julho 2022

O Maior Desafio de 2022: Desemprego.

 



Olá pessoal, depois de uma longa pausa estou aqui novamente escrevendo. Provavelmente, num dos momentos mais difíceis da minha vida. Atualmente estou desempregado e com o seguro desemprego praticamente terminado, eu e minha esposa estamos somente com a renda de vendas tanto da plataforma Shopee, que se dedica a vendas de colecionáveis e revistas de segunda mão e as vendas de cosméticos.


Sim, já passei por momentos ruins, quando minha mãe faleceu estava se emprego sobrevivendo de bicos numa empresa de inventário de mercadorias de loja, até arrumar uma vaga de repositor e posteriormente ficar 5 anos como Assistente de Arquivo.


Lá pude exercer uma função praticamente fixa, um salário razoável que dava para manter as contas aqui de casa de uma boa forma. Consegui durante o período fazer algumas benfeitorias aqui, muitas foram com o dinheiro que tinha recebido da justiça de um processo da Cedae. Só que nada desse período foi guardado, porque quem tomava conta de pagar as contas era minha esposa. E ela ia na onda de gastar tudo, e eu evitava guardar por conta da tomada de bens que a justiça poderia fazer a qualquer momento devido ao famigerado processo que sempre conto aqui.


Enfim até que início desse ano, chegou o momento de me mandarem embora. Uma coisa que nunca esperava, porque a empresa que eu estava não manda embora bons funcionários, porém vi uma movimentação estranha, gente nova entrando e conhecida dos gestores. Eu sabia que haveria um corte, porém jamais esperava que fosse comigo. Apesar de nunca ter recebido uma promoção, ao contrário de alguns, sempre fui um bom funcionário. Lá aprendi muito, mas sempre desejei reconhecimento até por conta dos anos de casa que eu tinha.


Infelizmente resolveram tomar a decisão, talvez por culpa minha. No fato de ter somente feito meu trabalho e não ter feito alianças, ou as ter quebrado sei lá, por conta da chegada do novo supervisor. Gosto de ver as coisas de forma justa e sincera, e eu notei que ele ficava meio afastado de mim, apesar de uma relação de respeito. Mas depois de um atrito que tive com ele, sabia que isso poderia me queimar ali, mas eu tinha a confiança do gerente (ou eu achava que tinha).


Encarando o RH Hoje. 


Hoje, depois de 5 anos, venho retornar a busca pelas vagas de emprego e vejo que muita coisa mudou. Tudo é agora informatizado e por sistema. Você preenche cadastro, faz avaliação online... As entrevistas são feitas por softwares como Microsoft Teams. Esse ano foram 4 entrevistas, e foram para as áreas que eu atuava (Arquivo), porém em nenhuma delas fui selecionado. E olha que tenho experiência, mas eu especulo que seja a idade, tô quase quarentão. 

Se contar que em uma delas eu tava em processo e a recrutadora cancelou a vaga no Gupy, eu fiquei muito chateado. Toda essa angústia e expectativa (eu tenho histórico de depressão e ansiedade) me abala: é chato ver que o futuro é nebuloso. Que o RHs da vida continua a tratar candidatos em potencial com desleixo. Não é novidade, pois conheço um caso de um aprendiz de uma empresa que ele iria ser contratado por uma firma, disseram que seria certo até porque ele ganho experiência na função. Enrolaram o garoto que até esqueceu a vaga, mas felizmente ele arrumou um trabalho


A Renda Hoje.



Eu praticamente não dependia de ninguém: eu que praticamente sustentava a maior renda da casa. Sempre falei para mulher procurar um emprego fixo, mas o peso das responsabilidade de um filho com TDAH e ajudar a avó com problemas impedia um trabalho assim e achei também que como autônoma seria melhor, mesmo que as vendas delas sendo variáveis. E nesse período que estive em casa, pois quando trabalhava tinha pouco contato com meu filho, jogou-se muitas responsabilidades para mim. Eu tive que dar um basta para respirar e continuar a busca por emprego, pois isso estava me sufocando e impedindo de uma certa forma.

Eu sempre ralando e dedicando os frutos do meu trabalho a família e filhos, bens mais preciosos que tenho hoje. Sabe, sou um cara que perdi tudo: chance na faculdade, dinheiro... Porém um cara que não deixa dever nada importante, quitamos todas as taxas do imóvel: dois carnês do IPTU (do ano passado e desse ano), taxa de incêndio... Nada ficou para trás quando recebi as verbas rescisórias, mas o peso da casa é alto, tive um bloqueio das minhas contas em Maio, contas essas usadas para pagamento das despesas. Tudo por conta de um direito que eu não tinha, me sinto usado por gente oportunista.


A Esperança.


Estou me agarrando a esperança, luto todos os dias por um futuro melhor. Sei que sou um cara inteligente, que sabe muito. Busco alternativas de renda, mas não nego que é difícil. Estive momentos em que eu tive que lutar contra a depressão, busquei ajuda no SUS, porém o médico psiquiatra que preciso só vai poder me atender sabe se lá quando. O que eu tenho é força de vontade e fé. Sei que tem vizinhos e amigos orando por mim, meu filho mobilizou as crianças da igreja para orar por mim afim de conseguir um trabalho. Nunca recebi tanto amor e bençãos na minha vida, mas sei que o mundo é cruel,  por isso preciso seguir em frente e lutar.



Nenhum comentário: